Qual é o Melhor Modelo de Saúde?

Tempo de leitura: 2 minutos

O raciocínio de um único modelo de saúde é muito simples, fácil e lógico, até que…

As suas dores são devidas à sua má postura!! Tudo passa pelo desalinhamento do corpo! Quantas vezes você já não disse isso para um paciente! Pois é, eu já fiz muito isso mas o trabalho aqui apresentado pelo respeitado autor e pesquisador Eyal Lederman, lhe fará refletir muito sobre essas questões e principalmente pelo modelo de saúde PEB (postural-estrutural-biomecânico).

O modelo de saúde PEB tende a levar em grande consideração aspectos como a avaliação postural na determinação da causa das dores, observar hipercifoses, hiperlordoses, assimetrias e outras alterações. Essas alterações tenderiam a gerar estresses alterados sobre as articulações e consequentemente os quadros dolorosos. Cabe aqui já uma primeira reflexão: O que esperar da coluna lombar de orientais? Eles já possuem um considerável apagamento da lordose. Seriam eles mais tendeciosos a sofrerem com dores na coluna?

Outros parâmetros normalmente implicados nesse conceito passam pela análise da flexibilidade e palpações na procura de estados de tensão muscular aumentados e rigidez excessiva.

A premissa básica então deste modelo é a de que através de procedimentos terapêuticos manuais os desalinhamentos seriam corrigidos e assim melhorariam a condição presente e preveniria episódios recorrentes.

Uma reflexão importante a ser colocada, neste momento, refere-se aos diferentes achados PEB encontrados em pacientes com dor. É comum notar, por exemplo, pacientes que sofram com dor lombar com fraqueza e atraso no recrutamento dos músculos abdominais mas será que eles são realmente a causa da dor?

Trabalhos chegam a apontar que 47-66% de casos de degeneração discal sejam devidos a fatores hereditários e ambientais enquanto apenas 2-10% poderiam ser explicados por estresses físicos.

back-pain-at-work-2

Agora você está se perguntando: ok, eu compreendo essas explicações mas…

Qual seria o melhor modelo de saúde a considerar na clínica do meu paciente?

Essa é a pergunta comumente levantada nos cursos. Surge nesse ponto a necessidade de considerar os fundamentos defendidos pelo Conceito SIn e as idéias apresentadas por Lederman.

Lederman defende através dos seus estudos a capacidade de adaptação biológica dos nossos tecidos. Esta adaptação estaria dentro de uma margem favorável que impede que os sintomas surjam. Tal premissa é fortemente apoiada pelos ideais do Conceito SIn. Dentro da nossa proposta há a necessidade de um conjunto de fatores que somados poderão ou não determinar dores e doenças.

A lógica de não se apoiar em apenas um componente da saúde física mas também em outros fatores como hábitos alimentares, mudanças no estilo de vida e implementações na inteligência emocional propicia um modelo de intervenção único e verdadeiramente global.

Receba GRATUITAMENTE dicas em seu e-mail preenchendo o formulário abaixo.
Deixe aqui o seu comentário
Deixe aqui o seu comentário